Skip to content
Caveiras

A origem da Bandeira Pirata

Origem da bandeira pirata

Poucos símbolos têm tido tanto sucesso quanto a caveira pirata, uma caveira com dois ossos cruzados. É também um símbolo que a pirataria acabou se associando, em toda a sua glória perversa, como uma manifestação do moderno espírito empreendedor e libertário e isso acontece, especialmente, no âmbito anglo-saxão: camisetas, bonés, bandeiras… até gravatas e broches…

Dali surgiu uma denominação peculiar: Jolly Roger. Os submarinos da Marinha Real Britânica levantavam essa bandeira ao regressar ao porto mesmo se causaram mortes, como aconteceu na guerra das Malvinas. A verdadeira história de Jolly Roger tem uma origem um pouco imprevisível para o âmbito protestante anglo-saxão.

Foi usada quase sempre contra os ingleses. E então se tornou um símbolo universal.

Primeira aparição da bandeira da caveira pirata

A primeira aparição da bandeira da caveira pirata foi registrada durante a Guerra da Sucessão Espanhola e é difundida na chamada era de ouro da pirataria (1714-1722). O primeiro registro do avistamento da bandeira pirata foi em 1700 e foi atribuído a um navio francês de refugiados perto de Santiago de Cuba, comandado por Emanuel Wynne, especialista em navios mercantes ingleses: um pirata de acordo com os britânicos, e, segundo, os franceses, um herói. A descrição da bandeira preta com dois ossos cruzados, uma caveira e uma ampulheta foram feitas pelo capitão do HMS Poole quem o confrontou em 1701.

Jolly Roger

Simbolo da caveira nos templários

Uma das igrejas mais místicas da Espanha, de origem templária, é a de Vera Cruz, em Segóvia. Seu assoalho dodecagonal, dentre muitas outras singularidades, complementa as lápides de alguns cavaleiros.Em cada uma delas, este símbolo característico aparece. A caveira e ossos cruzados são muito encontrados em túmulos da Catedral de São João em Malta e em qualquer templo amplo da ordem.

Piratas do Mediterrâneo

Quando Rodas caiu nas mãos do Turco (1522), o imperador Carlos V ofereceu aos cavaleiros de São João de Jerusalém a Ilha de Malta e outros adjacentes: Comino e Gozo. Malta dependia do Reino de Aragão durante séculos e continuou sendo, mais em teoria do que qualquer outra coisa, um feudo naquele reino espanhol. Foi lá que os cavaleiros acabaram aperfeiçoando suas habilidades de guerra em seu novo campo de batalha: o mar, ante ao avanço turco e da sua pirataria. Os cavaleiros de Malta, os monges do mar, trabalhavam com uma espécie de “pirataria sagrada”, extorquindo o império turco e protegendo os interesses cristãos em um mar aparentemente destruído para sempre.

Os cavaleiros católicos de Malta usaram a pirataria contra os inimigos da religião no Mediterrâneo, mas … eles conseguiram ter atividade no Atlântico contra os piratas ingleses e holandeses que estavam ligados às heresias protestantes?

Os cavaleiros de Malta também usaram a Caveira Pirata

A Jolly Roger está obviamente ligada a um símbolo usado pela Ordem de Malta nos túmulos, embora nunca tenha sido sua bandeira. Ao longo da história, foi mostrada sua conexão com atividades piratas no Mediterrâneo e a atividade dos membros da ordem, ao serviço da Espanha e da França no Atlântico, bem como o seu forte papel em conflitos navais contra a Inglaterra.  Parece quase óbvio que um cavalheiro poderia ter participado de atividades piratas no Atlântico contra interesses britânicos é muito mais do que provável que teria usado a bandeira da caveira pirata.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *